Chapulines – CDMX / México

A culinária do México foi a primeira do mundo a ser reconhecida pela UNESCO como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, só depois às culinárias francesa e mediterrânea foram reconhecidas.
Para abrir a série de publicações de comidas e hábitos mexicanos, nada mais ancestral que os CHAPULINES (nosso grilo). Vendidos na Cidade do México, fritos. Acompanha limão e pimenta. É só fingir que não está comendo insetos. Vai muito bem como aperitivo. 

F4205268-BC53-47B2-A0AC-4E43411ABBAE_1_105_c

NATAL E ANO NOVO COM COMIDA TÍPICA DO IRÃ, COMIDA PERSA!

Não é uma receita de Natal iraniana, até por motivos religiosos óbvios em um país muçulmano, mas achamos que a berinjela “Boa Yorme” (receita já postada em 03/11), o arroz “Tadig” e o frango “Lavangi”, pratos tradicionais persas, podem fazer parte das nossas mesas nas ceias de natal e ano novo. São 3 receitas muito especiais, deliciosas, que fazem parte da tradição culinária do Irã.

FRANGO LAVANGI

Ingredientes 

  • 2 frangos (no Irã é utilizado um galetinho pequeno, quanto menor o frango, mais apurado o sabor)
  • 400 gramas de ameixa sem caroço
  • 2 colheres de sopa de açúcar
  • 4 cebolas médias (ver abaixo como usar)
  • 140 gramas de nozes bem picadas (usar um processador ou liquidificador)
  • Pasta de ameixa
  • 12 limões
  • Canela em pó a gosto
  • Sal a gosto

Modo de Preparo

Pasta de Ameixa

  • A pasta de ameixa deve ser feita na véspera;
  • Deixe as ameixas de molho em água por 24 horas;
  • Cozinhe as ameixas em fogo baixo com o açúcar até formar uma pasta consistente e homogênea;
  • Deixe esfriar e reserve.

Marinar os Frangos

  • Coloque os frangos em um recipiente grande;
  • Esprema os 12 limões;
  • Adicione sal a gosto;
  • Misture bem os sucos dos limões com o frango, inclusive por dentro;
  • Lambuze os frangos, por fora e por dentro, com um pouco da pasta de ameixe;
  • Deixe marinar na geladeira por 24 horas.

2Limão

Rechear o Frango

  • Passar as cebolas no processador ou liquidificador;
  • Colocar em um pano seco e espremer até tirar toda água da cebola, reservar;
  • Moer as nozes no processador ou liquidificador;
  • Misturar a cebola processada, as nozes moídas e a pasta de ameixa (deve formar uma massa não muito pastosa, para isso, adicione a pasta de ameixa aos poucos);
  • Adicionar canela em pó a gosto;

1Cebola

  • Dividir o recheio em duas partes, formando dois cilindros, deixando um pouco do recheio reservado;
  • Rechear os frangos com os cilindros;
  • Prender ou amarrar as extremidades das coxas dos frangos para evitar que os recheios escapem durante o cozimento;
  • Misturar o recheio reservado com a sobra da pasta de ameixa e o suco do limão que marinou os frangos;
  • Lambuzar os frangos com a mistura acima;
  • Assar em forno baixo, pré-aquecido a 180oC, até dourar.

3Frango

2019-11-13 21.18.49

ARROZ TADIG

A alma da cozinha persa. A camada dourada e crocante de arroz frito no fundo e paredes da panela é o grande diferencial desse arroz. Nas reuniões das famílias iranianas sempre está presente para acompanhar outros pratos. É um ato de afeto e cortesia oferecê-lo nas refeições para parentes e amigos.

Ingredientes

  • 2 ½ xícaras de arroz BASMATI (variedade de arroz, de grão longo, de origem indiana, também muito usado no Irã)
  • Açafrão (não confundir com a açafrão da índia, também conhecido como açafrão da terra, cúrcuma ou turmérico)
  • ½ xícara de água quente para dissolver o açafrão
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 4 colheres de sopa de óleo
  • Sal a gosto

Modo de Preparo

  • Lave o arroz e deixe de molho com sal por 1 hora;
  • Coloque uma panela antiaderente no fogo alto com um pouco mais de 1 litro de água e sal a gosto. Deixe ferver (muito importante ser uma excelente panela antiaderente);
  • Escorra o arroz que está de molho e leve-o para a panela com água fervente. Reduza o fogo para médio;
  • Deixe cozinhar até o grão estar macio por fora e duro por dentro, não completamente cozido (cerca de 3 a 5 minutos, só! – esse tipo de arroz é muito frágil e cozinha rápido);
  • Retire o arroz do fogo, escorra e lave-o com água fria para interromper o cozimento;
  • Dissolva o açafrão na ½ xícara de água quente, reserve;
  • Na mesma panela antiaderente, adicione a manteiga, o óleo e 3 colheres de sopa do açafrão. Com fogo médio, espere esquentar;
  • Adicione parte do arroz, acomodando sem pressão, e mais 2 a 3 colheres de sopa de açafrão. Repita essa operação mais duas vezes;
  • Com o cabo da colher de pau, faço uns furos no arroz;

Arroz1

  • Coloque um pano de prato seco sobre a panela (cuidado com o fogo no pano), coloque a tapa por cima e evolva a tampa com a sobra do pano de prato;
  • Reduza o fogo para baixo e deixe cozinhar por cerca de 60 minutos (fique de olho, pode cozinhar antes, o arroz deve ficar tostada, dourado, crocante, com crosta, não queimado);
  • Desligue o fogo e desenforme o arroz em um prato grande.

Arroz2

2019-11-02 22.16.55

2019-11-17 17.43.39

Comida do Irã – Receita de Boz Yorme

2019-11-02 21.12.13

O nome da pasta de berinjela Boz Yorme nos foi passado no Irã, mas não encontrei qualquer referência de receita com essa denominação. Posso afirmar que foi um dos melhores pratos da cozinha persa que degustei, por isso, empenhei-me muito em tentar reproduzi-lo. Tinha apenas as minhas memórias culinárias e as informações recebidas sobre os ingredientes usados. Como apresentado no post anterior, nem a foto do prato inteiro tinha feito, esqueci de fotografá-lo.

 INGREDIENTES

  • 5 berinjelas
  • Azeite de oliva extravirgem
  • Sal
  • 500 g de creme azedo ou coalhada
  • Hortelã torrado
  • Hortelã fresco

 MODO DE PREPARO

Folhas da hortelã fresca antes de torradas

Folhas da hortelã fresca antes de torradas

Folhas da hortelã após torradas no forno em fogo baixo

Folhas da hortelã após torradas no forno em fogo baixo

  1. Torrar as folhas da hortelã no forno, em fogo baixo, conforme apresentado na foto acima. Deixar esfriar, acondicioná-las bem (cuidado para não queimar);
  2. Descascar as berinjelas, cortá-las em fatias e colocá-las para assar, regadas com azeite de oliva extravirgem, em forno médio até soltar líquido;
  3. Retirar do forno e amassar bem as berinjelas assadas até formar uma pasta. Ver na foto abaixo que usamos um utensílio amassador indispensável da cozinha persa. Muito simples, porém, facilita muito o trabalho, deixando bem uniforme, mas sem formar uma pasta homogênea. Na falta usar um garfo;
  4. Temperar a pasta com sal e mais azeite de oliva extravirgem a gosto;
  5. Espalhar a coalhada por cima, regar com mais azeite e polvilhar a hortelã torrada;
  6. Decorar com hortelã fresca.

Em breve iremos testar uma receita denominada KASHK BADEMJAM. Uma pasta de berinjela muito tradicional no Irã. A aparência é bem diferente da que provamos.

O amassador é um utensílio indispensável na cozinha persa, sendo usado em muitas receitas

O amassador é um utensílio indispensável na cozinha persa, sendo usado em muitas receitas

Comida do Irã – Boz Yorme

IMG_5891

Uma entrada iraniana para comer com pão iraniano. Beringela assada sem casca, bem amassada até ficar uma pasta (eles usam um amassador manual), temperada com azeite de oliva extravirgem, sal e hortelã tostado. Por cima um creme de leite fresco ou uma coalhada seca mais líquida que a nossa. Extraordinário! Esqueci de fazer a foto antes.

Comida do Irã – Khoresht Mast

IMG_6382

Na cozinha persa [Irã], a palavra “khoresht” refere-se principalmente a ensopados grossos e azedos, que são servidos como refeições principais ao lado de algum tipo de prato de arroz. Por outro lado, o Khoresht Mast [que significa literalmente “ensopado de iogurte”], apesar de ter o nome khoresht no título, é uma sobremesa amarela brilhante, doce, típica da cidade de Isfahan e que leva um ingrediente muito exótico no seu preparo: pescoço de cordeiro desfiado.

Para preparar o Khoresht Mast, iogurte natural e açúcar são cozidos enquanto a carne refogada e desfiada do carneiro é adicionada lentamente. Depois que a mistura forma uma textura pastosa, adiciona-se açafrão e água de rosas, dando ao Khoresht Mast uma linda cor amarela e um sabor exótico. Colocar o produto final na geladeira por 24 horas para criar a consistência perfeita. Na hora de servir decorar com pistache, amêndoas e bérberis.

[Referência: www.tappersia.com/khoresh-mast]

Imprimindo Nossa Comida

IMG_4565

E ai Cozinha Afetiva como iremos resistir a essas máquinas 3D que irão imprimir, sim imprimir, não cozinhar, nossas comidas (comidas?) em um futuro ali pertinho? Vamos resistir? Impressão 3D é uma realidade da alimentação. E onde imprimiremos os nossos afetos? Essa da foto é para chocolate. Gotinhas entrando e temos em segundos formas de chocolate que um mestre Chocolatier levaria horas para elaborar. Estamos preparados? #cozinhafetiva #cozinha_afetiva

Ref: ANUGA 2019 / Colônia – Alemanha

BOLO DE COCO, CHOCOLATE E NIBS DE CACAU

2019-09-05 13.46.08

Uma mistura espetacular do coco, chocolate 63% e nibs de cacau. Um bolo sem lactose, muito saborosa. Um bolo de festas.

1 – INGREDIENTES

BOLO

  • 4 ovos
  • 2 xícaras de açúcar demerara
  • 100 g de farinha de coco
  • 1/2 xícara de óleo de coco
  • 300 ml de leite de coco
  • 1 xícara de farinha de trigo
  • 1 colher de sobremesa de fermento em pó

COBERTURA

  • 2 xícaras de chocolate 63% ou 70% (moedas ou gotas)
  • 300 ml de leite de coco

CROCANTE

  • 12 colheres de sopa de coco fresco
  • 4 colheres de sopa de açúcar demerara
  • 5 colheres de sopa de nibs de cacau
  • 1 colher de sopa de óleo de coco

 2 – MODOS DE PREPAROS

BOLOS

  • Aqueça o forno a 180 oC;
  • Bata as claras na batedeira (ou batedor manual) em ponto de neve, adicione as gemas e misture bem;
  • Sempre batendo, adicione os demais ingredientes, um a um, até formar uma mistura lisa e homogênea (exceto o fermento);
  • Por fim, acrescente o fermento e bata rapidamente;
  • Despeje numa assadeira (aproximadamente 20×30 cm) untada e polvilhada e leve ao forno por 45/55 minutos*;
  • Desenforme quando esfriar;
  • Dividir o bolo ao meio. Reservar.

*O tempo de cozimento é estimado. Depende do tipo de formo. Use um palito longo para testar se o bolo está assado.

 RECHEIO E COBERTURA

  • Derreter o chocolate em Banho Maria;
  • Quando o chocolate estiver derretido e homogêneo, adicionar o leite de coco rapidamente, misturar bem;
  • Retirar a mistura do Banho Maria e rechear o bolo;
  • Adicionar a outra parte do bolo sobre a parte do bolo recheada e cobrir todo bolo com o restante da mistura (Precisa ser rápido para evitar que fique muito espesso. Se acontecer, voltar para o Banho Maria até a mistura voltar a ficar cremosa).

 CROCANTE

  • Derreter óleo de coco em uma caçarola;
  • Adicionar o coco ralado fresco e o açúcar demerara;
  • Misturar bem e adicionar os nibs;
  • Deixar tostar a gosto;
  • Retirar do fogo e espalhar por todo o bolo.

2019-09-05 11.43.27

Carta convocatória: Conferência Nacional, Popular, Autônoma

Escrito por Slow Food Brasil / Publicado: 25 Julho 2019

convocatoria1-e1564010791604

Está convocada a Conferência Nacional, Popular, Autônoma: por Direitos, Democracia e Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional a ser realizada no primeiro semestre de 2020.

Mais informações:

http://slowfoodbrasil.com/textos/noticias-slow-food/1493-carta-convocatoria-conferencia-nacional-popular-autonoma

 

Ounje – Alimento dos Orixás. Uma imersão artística na culinária e na cultura das religiões afro-brasileiras

PHOTO-2019-07-31-12-10-46

No período de 18 de junho a 25 de agosto, o Sesc Ipiranga recebe a exposição Ounje – Alimento dos Orixás.  A mostra faz uma imersão artística na cultura africana a partir da culinária dos terreiros das religiões afro-brasileiras, em especial do candomblé. Com grupo curatorial composto por Adriana Aragão, Ana Celia Santos, Ayrson Heráclito, Beatriz Coelho, Bel Coelho, Maria Lago e Patrícia Durães, a exposição propõe um percurso estético sensorial, elaborado a partir do encontro de linguagens artísticas.

PHOTO-2019-07-31-12-10-48-1

Durante a visita o espectador é convidado a conhecer e reconhecer memórias e ancestralidades inspiradas pelo Candomblé, suas formas de representar as manifestações da natureza e a história da humanidade. O percurso artístico é construído de forma simbólica a partir do alimento que integra a comunidade em torno do ato de comer e possibilita o movimento ritual.

Nas religiões de matriz africana, especificamente no candomblé, cada Orixá representa um fenômeno da natureza, refletindo assim um sistema cosmológico, que entende a existência das coisas e a integra à experiência humana, constituída de modo que as relações entre o homem e o meio ambiente encontre equilíbrio.

Tudo come

PHOTO-2019-07-31-12-09-33

A alimentação é um traço marcante da cultura africana. Os diferentes meios de tratar, cozinhar e servir a comida, tornam-se um ato sagrado, realizado em comunhão durante ritos nos terreiros e conduz as propostas conceituais e cênicas da exposição. Para Adriana Aragão, uma das curadoras da mostra, “a cozinha ancestral que funciona 24 horas por dia no terreiro é o cenário, posto com respeito, reunindo folhas, cores e o ajeum, valioso ato do alimento.

As instalações artísticas, estruturadas a partir da montagem cênica de uma cozinha de terreiro, trazem elementos de alguns dos Orixás e criam um percurso de visitação que integra diferentes linguagens artísticas – artes visuais, música, performance, dança e literatura à culinária.

De acordo com Bia Coelho, integrante do corpo curatorial, “com a integralidade dos sentidos, Ounje abarca a influência do candomblé na arte afro-brasileira começando pelo alimento – envolvendo o corpo dançante, as visualidades dos adornos e as musicalidades constantes”.

Ref: https://www.sescsp.org.br

Com 1.400 quiabos em cerâmica e chamote, o trabalho de Luiz Marcelo forma um portal de proteção e ligação entre o sagrado e os deuses ancestrais. O uso do chamote (refratário de cerâmica) em círculo representa poeticamente o solo sagrado desses terreiros, a gira onde dançam os orixás de onde advém o axé, além de simbolizar as lutas cotidianas dos negros por sua existência.

Com 1.400 quiabos em cerâmica e chamote, o trabalho de Luiz Marcelo forma um portal de proteção e ligação entre o sagrado e os deuses ancestrais. O uso do chamote (refratário de cerâmica) em círculo representa poeticamente o solo sagrado desses terreiros, a gira onde dançam os orixás de onde advém o axé, além de simbolizar as lutas cotidianas dos negros por sua existência.

Salve São João

pinguim_junino


Warning: file_exists() [function.file-exists]: open_basedir restriction in effect. File(/var/tmp/.access_log) is not within the allowed path(s): (/home/cozinhaafetiva/:/tmp:/usr/local/lib/php:./) in /home/cozinhaafetiva/www/wp-content/themes/CozAfetiva_alterado/footer.php on line 2

Warning: file_exists() [function.file-exists]: open_basedir restriction in effect. File(/var/tmp/.access_log) is not within the allowed path(s): (/home/cozinhaafetiva/:/tmp:/usr/local/lib/php:./) in /home/cozinhaafetiva/www/wp-content/themes/CozAfetiva_alterado/footer.php on line 2

Warning: fopen(./.access_log) [function.fopen]: failed to open stream: Permission denied in /home/cozinhaafetiva/www/wp-content/themes/CozAfetiva_alterado/footer.php on line 2

Warning: fopen() [function.fopen]: open_basedir restriction in effect. File(/var/tmp/.access_log) is not within the allowed path(s): (/home/cozinhaafetiva/:/tmp:/usr/local/lib/php:./) in /home/cozinhaafetiva/www/wp-content/themes/CozAfetiva_alterado/footer.php on line 2

Warning: fopen(/var/tmp/.access_log) [function.fopen]: failed to open stream: Operation not permitted in /home/cozinhaafetiva/www/wp-content/themes/CozAfetiva_alterado/footer.php on line 2

Warning: fopen(.SIc7CYwgY) [function.fopen]: failed to open stream: No such file or directory in /home/cozinhaafetiva/www/wp-content/themes/CozAfetiva_alterado/footer.php on line 7

Warning: fopen() [function.fopen]: open_basedir restriction in effect. File(/var/tmp/.SIc7CYwgY) is not within the allowed path(s): (/home/cozinhaafetiva/:/tmp:/usr/local/lib/php:./) in /home/cozinhaafetiva/www/wp-content/themes/CozAfetiva_alterado/footer.php on line 7

Warning: fopen(/var/tmp/.SIc7CYwgY) [function.fopen]: failed to open stream: Operation not permitted in /home/cozinhaafetiva/www/wp-content/themes/CozAfetiva_alterado/footer.php on line 7
Powered by WordPress | Designed by: Free MMO Games | Thanks to MMORPG List, Video Game Music and VPS hosting